Boostlab BTG – Turma de 2019

Boostlab BTG – Turma de 2019

Cerca de um ano atrás, escrevi aqui como foi nossa experiência no programa Oracle Startup Cloud Acceleration Program (leia aqui). Neste ano tivemos a oportunidade de participar do programa de aceleração do Banco BTG Pactual, o Boostlab. Para nós um grande motivo de orgulho.

O programa deste ano teve a inscrição de 238 startups e 8 finalistas selecionas: Tail, A55, BizCapital, Diin, Levee, Mobills, Netlex e Vindi. Só feras e em estágio de ebulição.

Ressalto abaixo os três itens que mais me chamaram a atenção:

Organização e conteúdo

Participar destes programas de aceleração para as Start-ups, ao meu ver, é sempre um privilégio e também um desafio. O empreendedor está sempre correndo e ter encontros periódicos focados, sem ficar resolvendo as tarefas e reuniões do dia-a-dia não é fácil. No caso do Boostlab eles aconteceram uma vez ao mês das 8h30 às 19h. Além do espaço físico deles sempre aberto e das reuniões de trabalho que surgiam no decorrer dos 6 meses de programa.

Ao contrário do já vivido em experiências anteriores, a organização e o conteúdo foram muito redondos. Tudo muito ritmado e com trilhas bem definidas em temas como Vendas, Marketing e Fundraising. Com uma gama de feras trocando seu conhecimento e experiências de peito aberto. Entre os mentores: Sônia Hess, Florian Bartunek, Amos Genish, Joaquim Torres e Gustavo Ramos.

Fica aqui minha admiração ao Pedro Waengertner e todo time da ACE que produzem esse rolê todo.

Engajamento

Aqui está de longe o ponto que mais me chamou atenção. Muitas vezes os programas de aceleração parecem ser um “fardo” em grandes corporações. Apesar dos engajados, também sempre temos cumpridores de protocolo, que somente estão lá por obrigação. Assim como a alta cúpula costuma aparecer uma vez para a foto e valeu.

Aqui não dá para não ressaltar a garra e tesão que o Fred Pompeu e o time BTG colocam no programa, transformando-o realmente num pilar do Banco com o olhar de inovação e negócios. O engajamento dos sócios e das empresas do Grupo são impressionantes, com acesso contínuo a pessoas chave, que em um relacionamento comum talvez fossem inacessíveis.

O networking entre os participantes do programa naturalmente é alto também e sempre ajuda a trazer aquele conforto de que não estamos sozinhos nesse mundo 🙂

Tinder business

Este tópico naturalmente está ligado ao tema do Engajamento, mas a forma como acontece achei excelente.

Imagine que você está das 9h às 18h numa imersão de conteúdo super intensa, a cabeça já foi a mil e está quase falhando, com tanto conteúdo e provocações ao longo do dia. Às 18h em ponto você entra para o momento Tinder: uma sala de reunião do BTG com 3 feras consagradas selecionadas para o seu caso, que vão te sabatinar, ouvir as suas dores e compartilhar alguns desafios que eles tem neste momento. É poder trocar sem crachá com seu possível maior cliente.

Meu amigo, se você tiver um produto com maturidade e uma capacidade de entrega, você sai com pelo menos um case a ser construído e um possível baita cliente. Posso dizer que no nosso caso aproveitamos bem, com bons casos em andamento.

 

Fica aqui nosso registro e mais uma vez nosso agradecimento pela oportunidade dada e pelas futuras que estamos construindo.

Paulo Planet, Co-fundador e COO da Tail