Clusterização: o que é, e porque é tão importante para o marketing

Clusterização: o que é, e porque é tão importante para o marketing

A segmentação do público-alvo de uma campanha é essencial para sua efetividade. Se entregue para as pessoas certas, um anúncio tem maior chance de gerar conversão, menor custo de aquisição de cliente (CAC) e maior retorno do investimento (ROI). Para  fazer isso, é preciso estudar os dados de comportamento do consumidor ou potencial cliente da marca e separá-los em clusters, ou seja, grupos. 

A clusterização é a categorização das informações sobre o consumidor a fim de gerar segmentações relevantes para as campanhas. São grupos de pessoas com características parecidas. Um comparativo para ficar mais claro, antes no marketing era comum as empresas delimitarem o público-alvo, que poderia ser mulheres, de 40 a 50 anos, que possuíam filhos. Essa segmentação é ampla e pode até funcionar para o marketing offline, mas no online certamente trará pouco resultado. 

 

O ideal é separar um cluster de informações sobre essa segmentação, algo como:

– Dados demográficos: mulheres, de 40 a 50 anos, com filhos até 5 anos que moram em Recife

– Interesse: leitura

– Comportamentos: crianças vão para escola durante o dia, mulher trabalha o dia inteiro

– Recorrência: usa aplicativo de e-book infantil e assiste muitos desenhos no YouTube

– Financeiro: renda mensal familiar acima de R$10mil

 

Para um clube de assinatura de livros infantis, por exemplo, essa clusterização levaria o anúncio diretamente para um público qualificado, que tem maiores chances de conversão.

 

Por que a clusterização mudou o marketing?

Que o marketing digital é orientado a dados, não é segredo para ninguém. O mistério, muitas vezes, está em como as empresas obtém, organizam e utilizam essas informações. Plataformas como DMPs ajudam as empresas a terem dados proprietários e públicos sobre o comportamento de clientes e potenciais consumidores. 

Com essa infinidade de informações na mão, é preciso organizar de forma efetiva uma estratégia de alcance da campanha. E é aí que entra os clusters. Por meio de insights gerados pelas informações boas plataformas de DMP já os entregam de forma mais clara é possível juntar diferentes dados em um cluster, gerando um grupo de alta qualidade para determinada campanha. Depois, basta segmentar o criativo para aquele cluster e analisar os resultados. 

Uma das grandes vantagens da clusterização é sua flexibilidade. Se ao acompanhar o desempenho da campanha foi percebido que a conversão está baixa, o CAC alto e o ROI baixo, é possível adaptar o cluster com novas segmentações a fim de melhorar o desempenho dela. 

 

 

A Tail oferece uma DMP completa que permite a clusterização das informações para campanhas mais assertivas e estratégicas. Conheça mais sobre a ferramenta.