Como integrar suas tecnologias de marketing para extrair mais valor delas

Como integrar suas tecnologias de marketing para extrair mais valor delas
82

As tecnologias de marketing, usualmente, têm diferentes frentes. Se estamos falando de uma loja física, por exemplo, existe o marketing direto no ponto de venda, o por meio de panfletos ou outra peça física, o boca-a-boca, o nas redes sociais, o feito por meio dos canais de relacionamento da própria empresa e ainda a mídia paga. Em todos esses canais, tecnologias e ferramentas ajudam a reunir informações sobre os clientes e entender a efetividade da mensagem passada. 

O grande volume de dados gerado pelos canais e tecnologias de marketing se somam a informações recolhidas por meio do time de vendas, de pós-venda, desenvolvimento de produto, estudo de mercado, entre outros. Acontece que, muitas vezes, esse montante de dados não é unificado, fazendo com que o negócio não aproveite o potencial que a análise de informações tem a oferecer. 

Unindo as tecnologias de marketing, obtemos benefícios como aumento de uma base qualificada de leads, maximização do ROI das campanhas, diminuição do custo de aquisição de cliente, aumento da retenção e do ticket médio podem ser alcançados por meio de uma visão ampla e integrada dos dados dos canais de marketing e de diferentes setores do negócio.

Para tal, a integração de tecnologias é essencial. Saiba como fazer isso na sua empresa.

 

Acabando com silos de informação

É comum que cada setor dentro de uma empresa acumule dados para executar de forma mais estratégica e inteligente a sua função. Acontece que, se essas informações são armazenadas em softwares ou storages com acesso limitado, que não se conectam, geram silos de informação. 

Podemos levar em consideração apenas os silos de dados dentro de diferentes canais de marketing para entender o quanto isso é prejudicial para os negócios. No CRM de uma loja física de roupa, por exemplo, ficam guardadas informações sobre os clientes que já efetuaram alguma compra no estabelecimento, de lá é possível determinar ainda quem é o cliente ideal do negócio, quanto em média é gasto em uma compra, quais produtos têm mais saída em uma determinada faixa etária, entre outras informações. 

Na outra ponta, a comunicação e relacionamento da loja com os clientes através do site do negócio pode trazer informações como: o que o cliente procurava antes de chegar no site, quais páginas dentro do endereço mais tempo navegou, quais são seus interesses de busca na internet, etc.

Essas duas “bolsas” de informação já são bastante úteis sozinhas, mas se unificadas permitem que se entenda, por exemplo, que mulheres de 40 a 50 anos, que gastam na loja física, em média, R$ 150, têm interesse em viagens no começo do ano, priorizando destinos com praia e para casal. Assim, é possível programar um criativo para aparecer em um site de viagens oferecendo as roupas de banho que mais têm saída na loja, dentro da faixa de preço estimada, ou seja, é possível estimular a compra no momento em que a pessoa está mais propensa a efetuá-la e de forma assertiva. 

Com essas informações integradas é possível, também, pensar em um marketing omnichannel, que unifique todos os canais de comunicação entre a marca e consumidor: se ele comprou uma camisa na loja física, quando entrar no site as informações já estarão configuradas com suas preferências, assim como se entrar em contato pelo SAC, terá seu histórico de compras registrado. 

Isso tudo só é possível se as informações deixarem os silos e passarem a ser integradas e acessíveis por todos dentro do negócio.

 

Data Lake e CDP na unificação dos dados

O primeiro passo para unificar as informações é tirá-las de softwares fechados e armazená-las em um data lake, uma ferramenta que guarda e organiza um grande volume de dados, independente do seu formato. As informações ficam centralizadas e podem ser facilmente analisadas..

Com esse “lago de dados” sendo alimentado por todas as ferramentas de tecnologias de marketing utilizadas pelo negócio, é possível cruzar as informações dos diferentes canais de vendas  para unificar a abordagem e permitir insights mais ricos. Mas, para isso, é preciso uma plataforma que minere esses dados dentro do data lake e as exiba de forma visual e intuitiva. 

Uma CDP é capaz de reunir todos os dados first-party dos negócios, dados unificados sobre seus clientes, que saíram das tecnologias e ferramentas de marketing e foram abrigados no data lake, a fim de possibilitar tais cruzamentos. Por meio dela é possível entregar diversas funcionalidades, como: Golden Record, ativação, visualização de dados, criação de personas, enriquecimento de dados, enfim, diversas entregas a partir dos dados de interação de um determinado perfil com uma empresa. Basta personalizar o dashboard com as informações requeridas e analisá-las para poder programar campanhas mais assertivas e inteligentes, por meio da integração dos dados de todas as tecnologias de marketing. 

 

A Tail oferece tanto as tecnologias necessárias quanto o apoio técnico para as empresas que desejam unificar sua base de dados a fim de estruturar tecnologias de marketing com melhores resultados. Peça aqui uma demonstração das nossas soluções.