Como usar uma DMP para criar uma Persona

Como usar uma DMP para criar uma Persona

Conhecer o cliente de um produto ou serviço é essencial para determinar as estratégias corretas de vendas e marketing. Mas não basta ter muitos dados sobre o comportamento do consumidor e seus hábitos e não conseguir gerar insights a partir deles.

Por isso, construir personas é importante. Torna possível ter uma visão completa do perfil do cliente, podendo pensar as estratégias que os impactam e analisar o seu comportamento de compra.

O ideal é que as empresas tenham de três a quatro personas para cada produto ou serviço vendido. Mas quanto menos perfis, melhor. Assim é possível pensar em ações mais certeiras para este público. Muitas vezes uma persona não é suficiente por conta do perfil diverso de pessoas que consomem o produto ou serviço, mas é importante se policiar para focar em, no máximo, cinco perfis.

 

O que é e como criar uma persona

 

A persona, portanto, é um personagem criado com base em dados reais dos clientes de uma determinada marca que resume todas as características de um grupo de consumidores.

A prática de criar personas no lugar de pegar um perfil existente de cliente se dá porque a criação é a junção de diferentes perfis em único. Para pensar em uma persona completa, comece pelo básico:

– Nome

– Idade

– Profissão

– Estado civíl

– Onde mora

– Interesses/hobbies

– Valores/crenças

– Formação

– Rotina

– Hábitos de compra

 

Criando uma persona a partir de uma DMP

 

Uma DMP pode ajudar neste processo de construção de personas. Fazendo o onboarding do CRM, por exemplo, a plataforma é capaz de cruzar os dados de clientes reais e criar perfis complementares, mostrando além das informações cadastrais, o comportamento online de pessoas dentro deste grupo. Assim, é possível desenhar a persona com base em dados reais.

Dentro das segmentações viáveis dentro de uma DMP é possível segmentar dados como gênero, idade, interesses e mapear o comportamento online e de compra desta persona, complementando os outros campos, como rotina e jornada de compra, por exemplo.

Uma DMP também ajuda na outra ponta do processo. Por meio dela é possível usar as personas para segmentar campanhas. Depois de desenhado o perfil e pensados anúncios voltados para este público, a DMP ajuda a segmentar a audiência de acordo com o comportamento da persona mapeada.

Dessa forma, além de servir como guia para a criação de conteúdo, a persona ainda serve como base para a distribuição das campanhas.

Na DMP da Tail, por exemplo, é possível fazer a segmentação para construir uma persona ou usar os dados da mesma para segmentar campanhas dentro das categorias de gênero, faixa etária, geolocalização, renda, interesses, automóveis, produtos de beleza, emprego, televisão, turismo, estilo de vida, times de futebol, dispositivos usados, entre outros.

 

Conheça a DMP da Tail e experimente criar e utilizar personas de forma descomplicada e certeira.