Conheça as principais ferramentas para Mídia Programática

Conheça as principais ferramentas para Mídia Programática

A mídia programática mudou a forma de anunciar online. Antes, as agências e marcas procuravam por páginas com mais acessos para posicionar seus anúncios. Agora, a partir da implementação do conceito de mídia programática, é possível anunciar em portais de acordo com o perfil de audiência que se quer atingir.

A venda de espaço é feita por meio de um leilão em tempo real para cada site. As vantagens deste modelo são que o anunciante consegue ter o controle de quanto está disposto a gastar por cada espaço, o anúncio alcança a audiência específica que tem maior identificação com o produto ou serviço vendido, é possível analisar os resultados da campanha, enfim, o processo se torna mais eficiente como um todo.

A cada etapa da mídia programática, o anunciante pode contar com ferramentas para facilitar e melhorar o seu alcance estratégico de audiência. Conheça as principais plataformas para este fim:

 

SSP: A Supply-Side Platform é onde se dá início ao processo de mídia programática. Na plataforma, os publishers disponibilizam o seu espaço para os anunciantes.

DSP: O Demand Side Platform é um software dedicado a automatização do processo de compra de mídia. Por meio dele, os anunciantes podem configurar suas campanhas e ter acesso aos inventários dos publishers que foram disponibilizados por meio da SSP. Então, acontecem os leilões em tempo real: quem der o maior valor por um determinado espaço, ganha a impressão e o anúncio é apresentado para a audiência selecionada.

DMP: Essa audiência é pré-delimitado em uma DMP, Data Management Platform. Este software permite que seja segmentada uma audiência correta para cada campanha. Com dados de comportamento online e perfil de consumidores, uma DMP ajuda o anunciante a encontrar o público ideal para suas campanhas. É por meio desta plataforma que acontece o diferencial da mídia programática: a segmentação do alcance dos anúncios.

Ad Exchange: O Ad Exchange ajuda os anunciantes a encontrarem seu público-alvo, depois que definidos na DMP. Essa ferramenta, contribui também para mostrar o valor de cada impressão de acordo com o público delimitado.

Trading Desk: Essa ferramenta é, na verdade, uma equipe especializada e com grande conhecimento em mídia e DSP’s. Por meio de Agency Trading Desk (ATD), os especialistas participam de leilões e depois revendem o espaço para os clientes. O objetivo é comprar um espaço que faça mais sentido para estes.

Ad Server: Ele é o servidor de publicidade online. Ou seja, é quem gerencia a entrega da campanha para um determinado público. Depois de comprado o espaço, o anúncio deve ser entregue ao site e atingir o público pré-delimitado. Quando alguém com o perfil para ver a campanha acessa o site, o Ad Server faz com que o anúncio apareça.

 

Fluxo da mídia programática

As ferramentas, portanto, são o que possibilitam o funcionamento da mídia programática. O publisher disponibiliza seu espaço em um SSP e, através da DSP, o anunciante consegue  encontrar, com ajuda do AD Exchange, e comprar a melhor oportunidade de acordo com o perfil do público-alvo, delimitado e estudado por meio de uma DMP. O anunciante ainda pode contratar uma Trading Desk para fazer este processo. O resultado é entregue pelo Ad Server, que faz com que a campanha apareça para o público certo, em determinado site.

A DMP é o centro deste processo, uma vez que é ela que dá à mídia programática sua principal característica: a personalização da audiência. Com dados comportamentais, geográficos e de perfil, uma DMP entrega ao anunciante a descrição exata de qual é o público mais  indicado para cada campanha.

 

Conheça as possibilidades de uma DMP e da mídia programática com os serviços e ferramentas disponibilizados pela Tail.