Coronavírus: comportamento e mídia em tempos de pandemia

Coronavírus: comportamento e mídia em tempos de pandemia

Frente a pandemia do novo coronavírus, que fez mais de 50 mil vítimas fatais até o começo de abril, a principal orientação da Organização Mundial da Saúde é o isolamento social, ou seja, ficar em casa. Com um grande número de pessoas em suas residências, o comportamento online e o consumo mudaram drasticamente. 

Especialistas vão ainda mais longe e defendem que a forma como todos se comportavam antes da pandemia nunca mais voltará e o mercado terá que entender uma nova dinâmica. Para as marcas, esse é um momento nebuloso, onde todo o cuidado é pouco para apresentar campanhas relevantes e sensíveis, preservando a saúde da população sem serem impositivas. 

Para superar esse desafio, Joshua Spanier, vice-presidente de marketing global do Google para mídia, elenca cuidados essenciais:

– Pensar local: por mais que a crise seja mundial, em cada cidade as pessoas vivem realidades diferentes, portanto, agora não é hora de apostar em grandes campanhas, mas sim em criativos específicos para diferentes regiões, respeitando o momento de cada uma; 

– Reavaliar: mais do que nunca as marcas precisam estar de olho nas métricas das campanhas. Como tudo vem mudando muito rápido, é essencial acompanhar a performance dos anúncios para mudar a estratégia na hora certa; 

– Ser útil: em um momento em que todos estão tendo que aprender a lidar com novas realidades, as marcas precisam se posicionar de forma orientadora. Não é hora de apenas apresentar uma promoção, mas sim de mostrar o impacto positivo que o produto ou serviço pode ter nesse momento, além de ajudar o consumidor a construir novos hábitos.

 

Comportamento dos consumidores

O cenário de consumo mundial mudou completamente de um mês para outro. Ficando mais em casa, as pessoas têm lido mais notícias, comprado mais pela internet e procurado por mais entretenimento, principalmente quem tem criança em casa. Por outro lado, com o aumento das preocupações com o futuro da saúde e economia mundial, as pessoas têm sido mais cautelosas, poupando mais dinheiro e adotando novos hábitos de higiene.

A Tail mapeia aproximadamente 400 milhões de perfis na América Latina, acompanhando o comportamento online deste grupo. Ao olhar para um compilado de dados nos últimos 30 dias, foi possível ter clara a mudança de hábitos online. 

O consumo de conteúdo infantil aumentou mais de 100% neste período. Páginas relacionadas a finanças tiveram um acréscimo de 50%, a saúde 33% e a higiene pessoal 20%. Entre os produtos com maior aumento de procura estão bebidas energéticas, 15%, e serviços de delivery, 10%.

Por outro lado, os assuntos que tiveram os maiores decréscimos foram: viagens (-60%), atividades ao ar livre (-15%), bares e restaurantes (-15%), automóveis (-15%) e maquiagem (-10%).

Entender o comportamento do público e quais são as páginas que ele mais frequenta ajuda as marcas a melhorarem sua presença online na crise. Por mais que o momento seja de preocupação, as empresas podem usá-lo para se aproximar de seus consumidores, entendendo suas preocupações e hábitos atuais e oferecendo a solução adequada.

Campanhas orientada a dados, mais do que nunca, podem ajudar as marcas neste momento. Confira nosso infográfico e compartilhe com a sua rede!

 

Coronavírus: comportamento e mídia em tempos de pandemia