Data Driven: como se aplica nas mais diversas áreas das empresas

Data Driven: como se aplica nas mais diversas áreas das empresas
94

O futuro é digital. É tecnológico. E, uma das metodologias mais importantes no momento para este fim é o Data Driven. Desta forma, as empresas que começam a realizar as adaptações agora, conseguem sair à frente dos seus concorrentes no mercado.  Já ouviu falar nessa estratégia?

É preciso mudanças culturais. Um dos grandes desafios para as empresas no futuro é, justamente, gerar essa transformação interna. Afinal, isso vai além da simples adoção de ferramentas.

Veja a seguir como ela funciona e como se aplica nas mais diversas áreas da empresa. Boa leitura!

O que é o Data Driven?

laptop computer on glass-top table

O Data Driven é uma metodologia cada vez mais importante, que permite o cruzamento de informações de diversas fontes (parceiros, dados internos, fornecedores, concorrentes, entre outros). Por meio disso, os dados podem ser coletados, tratados e analisados e gerar informações que serão primordiais para o negócio.

Muitos especialistas ainda classificam o Data Driven como uma verdadeira cultura revolucionária. Isso porque há significativas mudanças internas nas organizações, não sendo apenas uma mera adoção de tomadas de decisões orientadas a dados.

Por exemplo, temos a adoção cada vez maior da transformação digital. Afinal, segundo dados da Dell de 2020, 87,5% das empresas que atuam no Brasil criaram estratégias relacionadas com essas mudanças.

Assim, toda a infraestrutura interna passa a se modificar para este fim, atualizando formatos de negócios, modelos internos, padrões de operações e cultura organizacional. Com isso, adequa-se para os novos tempos, nos quais as informações estão no cerne dos processos.

Em outras palavras, podemos afirmar, também, que se trata de uma filosofia de gestão. Ela modifica não só rotinas de práticas, mas o mindset de todos os envolvidos, principalmente, das lideranças envolvidas.

É importante lembrar que essas mudanças precisam acontecer o quanto antes. O Gartner, uma das maiores autoridades na área de tecnologia aponta, como uma das tendências para 2021, a necessidade de acelerar processos de combinação de Data (dados) e Analytics (Análise). A inserção do Data Driven é um dos grandes aliados para este fim.

Qual o objetivo de mudar para o data driven

graphs of performance analytics on a laptop screen

Fato é: a Transformação Digital trouxe uma verdadeira mudança em todos os cenários. Para adequar-se a essa nova realidade, o Data Driven surge como uma oportunidade para permitir ações orientadas a dados, introduzindo a Inteligência de Dados nas rotinas internas.

Pense que essas mudanças de cultura seguem padrões semelhantes a quando se passou para o processo de digitalização e inserção da internet nos ambientes organizacionais. Ou, ainda, quando o Gartner anunciou que, até 2020, seria tão raro ter empresas que, em alguma medida, não trabalhassem com Cloud Computing, quanto aquelas que não tivessem qualquer atividade online.

Foram mudanças inevitáveis. E elas não vão parar por aí – pelo contrário, a tendência é que esses processos se acelerem cada vez mais. Assim, gestores de áreas estratégicas, como marketing e inovação, verão seus resultados comprometidos drasticamente caso não estejam atentos para isso, perdendo espaço para concorrentes.

Assim, podemos falar sobre alguns dos objetivos na adoção do Data Driven nos negócios e que orientarão você em sua implementação. São eles:

Uma visão de dados mais completa e abrangente, permitindo uma melhor qualificação da gestão;
Uma compreensão holística e integrada da empresa;
Maior assertividade em projetos e em tomadas de decisões;
Compreensão das dinâmicas da empresa;
Análise mais completa, permitindo verificar quais são os pontos fortes e fracos internos e externos, antecipar tendências e crises, compreender capacidade produtiva, bem como encontrar brechas competitivas.

Quais os benefícios do Data Driven

person using MacBook pro

O Data Driven, em primeiro lugar, está inserido dentro de uma lógica de Transformação Digital. Cada vez mais as empresas passam a modernizar-se e a estarem inseridas em um contexto no qual as tecnologias estão no centro dos processos.

Isso significa que as vantagens de sua adoção ocorrem em longo, médio e curto prazo. Vejamos alguns dos pontos importantes sobre isso a seguir.

Decisões orientadas à dados

Quantas vezes em sua carreira como liderança não ocorreram falhas que poderiam ter sido evitadas? Erros que foram tomados com uma certa dose de visões emocionadas, mas que não tinham fatos concretos que corroboram essas ações. Os danos poderiam ter sido desastrosos, não é mesmo?

Com o Data Driven, é possível ter decisões que são embasadas por informações concretas e, assim, minimiza-se as chances de erro. Por exemplo, ao definir uma ação de inovação, é possível analisar se, de fato, é o melhor momento para adotá-la, ou se há um período de instabilidade e, portanto, seja necessário recuar nesse momento.

Desenvolvimento de longo prazo mais efetivo

Se você consegue analisar cenários atuais e possíveis tendências, com alto grau de eficiência, torna-se possível garantir um desenvolvimento de estratégias de longo prazo que sejam mais efetivas. Assim, você consegue fazer um planejamento mais interessante e com maiores chances de sucesso.

Essa visão é fundamental, porque estratégias de curto prazo podem ser úteis para o momento, mas não alavancam os resultados como poderiam. Desta forma, é possível explorar o maior potencial do seu negócio.

Geração de diferenciais competitivos

Cada vez mais os mercados, nas mais diferentes áreas, estão acirrados. Estratégias competitivas, principalmente, geradas pelos setores de inovação e marketing, são fundamentais para conquistar lugar no mercado.

O Data Driven permite, até mesmo, que você possa analisar os dados de concorrentes e, assim, criar estratégias de superação a curto, médio e longo prazo. Enfim, você não quer ficar para trás, não é mesmo?

Análise de brechas de oportunidade

Muitas vezes, os negócios deixam de criar soluções, serviços e produtos porque não enxergam potenciais que estão diante dos seus olhos. Isso ocorria, principalmente, por uma falta de visibilidade acerca da situação.

Porém, com o Data Driven, as lideranças conseguem analisar o cenário como um todo. Isso permite verificar tendências de consumo, demandas de clientes, oportunidades de expansão, entre outros. Assim, o potencial criativo pode ser explorado e, assim, gerar novas possibilidades para o seu negócio.

Inserção de maior racionalidade na empresa

Atualmente os gestores atuam apenas por intuição, ou eles conseguem corroborar suas impressões com dados concretos? Quando as ações ocorrem no primeiro caso, torna-se difícil ter uma melhor compreensão das motivações para determinadas decisões, o que pode ser importante para ações futuras.

Trazer maior racionalidade permite maior equilíbrio interno e, assim, potencializa os resultados de estratégias. Enfim, essa questão é fundamental para que seja possível minimizar erros e repetir ações positivas que surjam no ambiente interno.

Como é feita a adoção do Data Driven

person writing on white paper

Diante do que falamos até então, é possível compreender a importância do Data Driven para os negócios como um todo e para os setores específicos. Contudo, para surtir os efeitos necessários, é fundamental que a implementação seja feita sem erros. Portanto, confira a seguir alguns pontos que auxiliam na estruturação dessa mudança cultural.

Treinamento dos colaboradores, a fim de que compreendam a filosofia e a utilização do Data Driven. Posteriormente, com a escolha das ferramentas, também é preciso realizar cursos e capacitações para que possam operar com elas sem maiores problemas;

Definição de um profissional que será responsável pela questão dos dados – o Chief Data Officer (CDO, ou ainda, Diretor Executivo de Dados);

Conformidade com as diretrizes da LGPD e demais legislações vigentes acerca do tema;

Implementação em todas as áreas: o processo deve ser incorporado em toda a empresa, modificando os processos internos para essa adoção;

Agilidade: o Data Driven deve ser incorporado de forma que ele não atrase rotinas do negócio;

Análise constante de tendências e boas práticas implementadas no mercado para este fim.

Como o Data Driven se aplica nas empresas

person holding pencil near laptop computer

O Data Driven, assim, pode ser aplicado nas mais diferentes áreas da empresa, de diversas formas, garantindo estratégias mais inteligentes, eficientes e que possam despontar o seu negócio no mercado. Vejamos a seguir algumas de suas principais aplicações.

Marketing

Nessa área, pode-se implementar o Data Driven Marketing, ou seja, quando há o marketing orientado a dados. Nesse caso, as ações nessa área são realizadas orientadas a dados, utilizando as informações coletadas, com a união com soluções de Business Intelligence. Algumas das principais ferramentas de marketing utilizadas para este fim são:

Google Analytics;
Data Management Platform;
Ferramentas de automação para marketing;
CRM;
Entre outros.

Assim, é possível trabalhar com análises mais detalhadas acerca das ações de marketing do negócio, incluindo anúncios e performance de páginas. Além disso, pode-se adotar soluções que permitam visões integradas mais eficientes e que, assim, possam gerar uma maior inteligência de mercado.

Também é possível trazer estratégias de personalização, que serão fundamentais para gerar um Marketing Analytics com máximo de eficiência. Com isso, é possível criar um perfil de ação voltado para as características peculiares da sua empresa por meio de estratégias como o retargeting e o lookalike.

Vendas

O setor de vendas também pode aplicar o Data Driven de forma eficiente. Para que ele seja utilizado, é preciso que o negócio armazene informações importantes que auxiliem na compreensão do cenário atual. São elas:

  • Entendimento dos desejos e necessidades dos clientes;
  • Compreensão de hábitos de consumo e processos de tomada de decisões;
  • Previsão de demandas;
  • Previsão de volume de vendas médio e possíveis momentos de aumento da demanda, a fim de evitar problemas que inviabilizam a compra.

Novamente, ferramentas estratégicas e voltadas para essa área específica serão fundamentais para um Data Driven orientado à área de vendas, tais como a criação de pipelines em um CRM. 

Por meio do Data Driven para vendas, é possível entender todo o processo, analisando quais estratégias precisam ser modificadas. Além disso, permite-se criar métodos para gerar um maior número de conversões, garantindo maior sucesso na condução da persona na jornada do cliente.

Financeiro

O Data Driven tem um papel importantíssimo e estratégico para o setor financeiro das empresas. Afinal, ele é um pilar do negócio, oferecendo sustentação para as demais áreas. Assim, é fundamental torná-lo estratégico.

Ele permite analisar, por exemplo, tendências de fluxos de caixa, entradas e saídas de finanças, verificar de que forma é possível minimizar impactos internos, antecipar tendências de crise e, também, identificar de que forma é possível manejar finanças, a fim de manter a vitalidade da empresa.

Análise de riscos

Para a análise de riscos, o Data Driven pode atuar em duas frentes. Em primeiro lugar, ele pode auxiliar na identificação de pontos de vulnerabilidade, assim que surgirem e, posteriormente, quando ocorre o processo de minimização e mitigação de riscos. Com isso, é possível analisar parâmetros de “antes e depois” das mudanças.

Um segundo ponto é permitir ações de risco de forma consciente. Afinal, nem sempre, no mundo dos negócios, as estratégias são sempre seguras. Contudo, isso só é possível quando você consegue agir de forma embasada, minimizando as chances de falhas neste processo.

Quais as principais ferramentas de Data Driven atuais

selective focus photography of woman and man using MacBook Pro on table

Como falamos ao longo deste artigo, o Data Driven é orientado por uma série de questões. Uma delas diz respeito às tecnologias implementadas para este fim. Apesar de algumas delas modificarem segundo cada setor, é fato que algumas auxiliam na adoção da empresa toda. Afinal, a visão integrada e holística é fundamental.

Entre elas, podemos citar duas importantes: o CRM e a CDP. Vejamos a seguir mais sobre cada uma delas.

CRM

O CRM (Customer Relationship Management) é uma ferramenta fundamental para as empresas, especialmente para a área de marketing e vendas. Elas permitem criar e manter relacionamentos com os clientes da empresa, permitindo analisar dados gerados nessa interação.

Além disso, ela permite facilitar e automatizar ações como atendimento, SAC e suporte. Os gestores responsáveis podem, assim, utilizar essas informações para identificar demandas e definir ações operacionais e analíticas.

Dentro desse contexto é fundamental encontrar a melhor ferramenta de CRM. Algumas questões importantes que devem ser consideradas são:

Funcionalidade;
Usabilidade;
Integrabilidade.

A TOTVS possui tecnologias completas para melhorar o relacionamento com seu cliente de forma automatizada e inteligente. Com o TOTVS CRM Automação da Força de Vendas (SFA) você terá em mãos um sistema completo e de fácil usabilidade para tornar sua equipe de vendas mais produtiva com possibilidade de gerenciamento 360º da carteira de clientes, e de quebra ainda acompanhar todos os indicadores de vendas importantes para a sua empresa. 

Já com o TOTVS CRM Gestão de Clientes você poderá contar com uma ferramenta completa e robusta para agilizar o atendimento e permitir que a equipe comercial atue de modo mais inteligente e estratégico, aumentando ainda mais as taxas de conversão do seu negócio.

Quer contar com um CRM 100% integrado à nuvem? Clique aqui para conhecer melhor as soluções da TOTVS!

CDP

Outra ferramenta importante para suas ações voltadas para Data Driven é a Customer Data Platform (CDP). Trata-se de uma ferramenta que auxilia no armazenamento, organização e enriquecimento de dados de clientes, unindo fontes online e off-line.

Ela é orientada, principalmente, para compreensão das necessidades do público. Assim, reúne informações estratégicas, advindas de diversas fontes, que podem trazer uma padronização para este fim. Esses dados podem vir tanto de fontes da empresa (dados first party) quanto externamente, advindo de terceiros (dados thrid party).

Portanto, os gestores de marketing e inovação terão em seu dashboard informações relacionadas com o perfil dos seus potenciais clientes, tais como:

  • Principais dados de buscas;
  • Dados demográficos;
  • Comportamento nas soluções da empresa;
  • Perfil de compras;
  • Interações com o negócio, entre outros.

O Data Driven é o futuro das empresas. Aliado com Business Intelligence, Data Analytics e Ciência de Dados, permite criar estratégias fundamentais que seja possível potencializar estratégias e ganhos da empresa.

Lembre-se que o futuro é digital, orientado a dados. Portanto, quanto antes seu negócio se adequar aos novos tempos, mais facilmente sairá à frente dos concorrentes. Não deixe de acompanhar essas questões.

Para auxiliá-lo no processo de implementação, conte com a TAIL. Somos especialistas em inteligência de dados orientada para ações de marketing. Entre em contato e saiba mais sobre como podemos auxiliá-lo nesta jornada.