Estratégia O2O

Estratégia O2O

No Brasil, de acordo com dados do PwC publicados pela IstoÉ, 68% dos consumidores fizeram compras online regulares — pelo menos uma vez por mês em 2018. O número é similar ao das compras offline: cerca de 61% das pessoas ouvidas pelo estudo disseram ter feito compras com esta frequência em lojas físicas neste ano. O cenário apresentado pela pesquisa mostra a importância de se desenvolver e de se investir nas duas estratégias de negócios.

As frentes online e offline podem, e devem, se complementar para impulsionar as vendas de uma marca como um todo. A estratégia O2O – online to offline, é crucial nestes casos. Por meio dela é possível usar todos os benefícios dos dois modos de comercialização de um produto ou serviço.

 

Vendas Online

As vendas online têm duas grandes vantagens. A primeira é a redução de custos com funcionários, aluguel de ponto de venda, contas de infraestrutura e etc. A segunda é a possibilidade de geração de dados. Por meio de estratégias online é possível mapear o comportamento do consumidor, entender seu gatilho de compra, desenhar o perfil do cliente  e organizar as informações obtidas a fim de usá-las como estratégia para atingir a audiência correta, no momento certo, e gerar mais conversões.

 

Vendas Offline

Por outro lado, o tempo e a validação são os principais benefícios das lojas físicas. Nelas o consumidor sai com o produto nas mãos, sem ter que esperar de três a quatro dias para recebê-lo em sua casa. Além disso, é possível ver e testar o produto antes de comprá-lo, tendo a certeza de que é exatamente o que precisa e que não terá surpresas negativas ao testá-lo em casa.

 

União de benefícios

A estratégia O2O une as vantagens destes dois modelos de negócio, os tornando complementares. É uma excelente alternativa para melhorar a experiência do cliente e para amenizar problemas de logística. Por meio dela, a fase de descoberta é feita no online, podendo a marca captar todos os dados descritos anteriormente, e a decisão de compra no offline, assim o consumidor consegue experimentar o produto e otimizar seu tempo.

Outra estratégia dentro do conceito O2O é a experimentação na loja física e a posterior compra na online. Assim, o consumidor consegue validar se o produto é o que esperava e comprar por um preço mais barato na loja online que tem menos custos de manutenção e por isso pode ofertar valores mais competitivos.

 

Dados no O2O

No O2O os estágios de descoberta e, em alguns casos, de gatilho para a venda, continuam a cargo do online. Por isso, ter junto com esta prática uma estratégia voltada a dados é essencial. Contar com uma DMP para segmentar a audiência e delimitar o público certo para as campanhas é determinante para impactar o consumidor e despertar a vontade deste em visitar a loja física. É possível, ainda, fazer o onboarding de dados do CRM do ponto de venda para a DMP, traçando perfis parecidos, por meio de ferramentas de look a like, com os que já consomem da marca.

A gestão dos consumidores online e offline pode ser feita por uma CDP, que une os dados provenientes destas duas fontes para monitorar e gerar insights sobre o ciclo de relacionamento da marca com o consumidor: qual o seu comportamento online antes da compra, qual o gatilho para a efetivação, quais canais offline procura, por onde realiza a compra, etc.

 

Conheça as possibilidade que softwares de dados podem agregar a sua estratégia O2O com a Tail.