Por que a gestão de consentimento pode transformar a sua estratégia de dados?

Por que a gestão de consentimento pode transformar a sua estratégia de dados?
83

Um dos objetivos do marketing é criar experiência para o consumidor, certo? Por isso, torná-lo protagonista da jornada de compra através da gestão de consentimento é uma importante estratégia. 

Além de contribuir para uma relação de confiança entre cliente e empresa, essa é uma prática que assegura às organizações a conformidade com a legislação atual, bem como um compliance amadurecido.

Como o nome indica e de forma bastante objetiva, a gestão do consentimento está diretamente ligada à autorização do usuário com a cessão de seus dados. 

É válido lembrar que a LGPD inaugurou uma nova “data-era, na qual as empresas e clientes têm papéis bem definidos. Enquanto as organizações devem ser transparentes com os processos que envolvem a utilização de dados de clientes, evidenciando para o consumidor quais deles são coletados e para o quê, o usuário precisa escolher entre permitir ou não uso de suas informações, além de poder revogar essa ação a qualquer momento. 

Ou seja, a gestão de consentimento é uma etapa visceral de qualquer planejamento de marketing. Neste conteúdo vamos abordar os principais tópicos sobre esse assunto: 

1.   O que é gestão de consentimento?
2.   Qual ferramenta otimiza a gestão de consentimento?
3.   Como implementar uma gestão de consentimento?

O que é gestão de consentimento 

A gestão de consentimento envolve as práticas e processos que uma empresa disponibiliza ao usuário para que ele concorde em ceder seus dados e indique quais deles ele deseja fazer isso. 

Com as demandas da legislação e também com o novo perfil de consumidor – mais atento e informado, garantir um planejamento de consentimento de ponta a ponta, que se ramifica por todos os canais digitais, não é mais um diferencial e sim uma obrigação. 

Para o marketing, a gestão de consentimento regula o uso de dados e torna o processo mais transparente e seguro, registrando e rastreando toda cadeia de coleta e armazenamento dessas permissões dos usuários. Por sua vez, o consumidor sabe de forma categórica quais dados está cedendo e quais são as práticas de uso da empresa.  

Sobre o assunto, a Lei Geral de Proteção de Dados é bastante clara acerca do significado de consentimento: “manifestação livre, informada e inequívoca pela qual o titular concorda com o tratamento de seus dados pessoais para uma finalidade determinada”. 

Portanto, gestão de consentimento é uma das responsabilidades do departamento do marketing, que reflete em: 

•   Conformidade legal no tratamento de dados;
•   Proteção de dados pessoais/sensíveis;
•   Transparência, privacidade e autodeterminação de informação;
•   Auxílio para outros setores, como o de segurança da informação.

Os avisos “aceitar/ rejeitar cookies” e “pop-ups” são exemplos de gestão de consentimento.  

Vantagens de uma gestão de consentimento

Já ficou claro que a gestão de consentimento é uma demanda legal. Entretanto, para além desta obrigação, o investimento na eficiência desse processo garante benefícios reais para as empresas, como: 

1.   Conformidade legal no tratamento de dados;
2.   Fortalecimento da relação de confiança entre cliente e empresa;
3.   Sistematização da coleta de dados e de informações dos consumidores;
4.   Contribuição para a elaboração mais fidedigna do perfil do cliente, uma vez que os dados coletados serão “autenticados” por ele mesmo;
5.   Segurança de dados.

Qual ferramenta pode ser associada à gestão de consentimento? 

A  CMP, sigla em inglês para Consent Management Platform, é a ferramenta responsável por criar avisos de uso de cookies nos objetos de comunicação das empresas, proporcionando uma visão estratégica de dados e a geração de insights para ações internas e externas.

Por meio da Plataforma de Gestão de Consentimento, o usuário tem controle sobre a cessão de suas informações, bem como de suas preferências, além da garantia de que suas decisões serão respeitadas pela empresa. Somente os dados e usos previamente acordados pelo cliente serão coletados, armazenados e tratados pela organização. 

Assim, a CMP funciona como uma ferramenta de gestão de consentimento, que auxilia a adequação à LGPD, amplia a transparência e o controle da coleta de dados dos usuários. 

A plataforma possibilita a criação de avisos personalizados de uso de cookies e deixa o usuário informado sobre a política de dados da empresa. 

Como implementar uma gestão de consentimento? 

A Tail é a principal referência do Brasil em estratégia de dados. Por aqui, conduzimos você e a sua empresa para um trabalho de excelência em data science, abrangendo todas as etapas e processos de coleta, armazenamento, tratamento e análise desses ativos. 

Para uma gestão de consentimento efetiva você deve:

•   entender o que é um CMP e sua importância para o negócio.
•   saber o que levar em consideração na hora de escolher uma CMP
•   compreender a diferença entre first, second e third-party data
•   estar por dentro da LGPD para o marketing
•   Contratar a CMP certa

A melhor CMP (consent management plataform) do mercado 

A CMP da Tail automatiza a gestão de consentimento, melhorando a experiência do usuário e não exigindo que ele concorde várias vezes ao navegar pelo site.

Além disso, a plataforma conta com outros diferenciais, como:

•   permite uma visão panorâmica do opt-in opt-out do negócio;
•   
otimiza o tipo de consentimento e de preferência dos usuários;
•   
exibe o texto no idioma apropriado para o usuário;
•   integra sistemas de gerenciamento de tags;
•   
identifica as preferências de cada usuário, informando quando o mesmo consentiu sobre um tipo de cookie;
•   
envia todos os dados para a CDP da Tail, permitindo a manipulação dessas informações para a criação de ativações e para dar legitimidade aos processos de exclusão de dados.

Solicite uma proposta personalizada aqui