Como mensurar a maturidade da cultura de dados da empresa

Como mensurar a maturidade da cultura de dados da empresa
83

De acordo com uma pesquisa realizada pela Digitalks, que ouviu mais de 800 diretores, c-levels e presidentes de diferentes negócios brasileiros, quanto maior as empresas, mais elas utilizam dados para tomar decisões estratégicas. As respostas coletadas pelo estudo, no entanto, mostraram que a maturidade da cultura de dados ainda é baixa nos negócios. 

A Gartner, empresa de consultoria global, estipulou um modelo de maturidade de dados em que as empresas que ainda estão dando os primeiros passos apresentam apenas relatórios básicos feitos em Excel, enquanto as mais maduras colocam a estratégia de dados em primeiro lugar, sendo que todas as operações do negócio são data-driven e contam com automação. 

Voltando para a pesquisa da Digitalks, é possível ver que a maior parte das empresas brasileiras ainda está no primeiro nível de uma cultura de dados: enquanto 71% dos entrevistados disseram usar Excel para suas análises, somente 22% usam ferramentas de dashboards simples e 20% têm ferramentas específicas de BI.

Pensando nisso, trouxemos neste artigo dicas de como mensurar e aprimorar a cultura de dados dentro do seu negócio. Confira a seguir.

 

Como mensurar a maturidade da cultura de dados

De acordo com o padrão de análise sobre a maturidade da cultura de dados estipulado pela  Gartner existem cinco níveis que uma empresa pode estar.

1. Básico

Aqui se encaixam as empresas que fazem relatórios básicos usando Excel, a partir de dados de uma única fonte e os armazenam em silos.

2. Oportunista

Nesse nível, as empresas já usam diversas fontes para angariar seus dados e contam com o apoio da TI para programar sistemas de integração a fim de gerar insights, mas ainda têm problemas com a qualidade dos dados.

3. Sistemático

As empresas que estão nesse estágio já possuem uma estratégia de dados bem definida, entendendo como eles serão usados para impulsionar o negócio. Elas possuem ferramentas de integração e exposição de dados, além de adicionar na sua análise dados externos para enriquecer as informações proprietárias.

4. Diferenciado

Aqui se encaixam os negócios que possuem um setor de Business Intelligence e um diretor de dados. As empresas nesse nível deixam de ter apenas respostas reativas para os dados e passam a utilizá-los de uma forma mais completa e inteligente.5

5. Transformacional

Neste nível de maior maturidade, as empresas são realmente direcionadas por dados e utilizam aprendizado de máquina e automação para fazer cruzamentos e gerar insights. Todos os funcionários tomam decisões com base em dados e conseguem fazer análises usando informações integradas. 

 

Existem ainda outros modelos que podem ser utilizados para estipular a maturidade dos negócios, mas todos seguem uma lógica clara que:

– começa com a captação de dados em alguns setores do negócio com base em poucas fontes; 

– passa para uma análise das informações com pouca integração e em ferramentas simples; 

– chega ao estágio de otimizar as decisões com base em dados mais organizados e de fontes mais diversificadas;

– empodera os colaboradores para todos utilizarem ferramentas mais estruturadas e integradas de análise da informação para suas ações diárias;

– chega em um estágio onde os dados regem o negócio, mostrando oportunidades de inovação e prevendo demandas.

 

Como ser uma empresa data-driven

Além de impulsionar as estratégias e resultados dos negócios, uma cultura data-driven (ou cultura de dados) ainda diminui a ineficiência corporativa. Em negócios de baixa maturidade, de acordo com uma pesquisa da Gartner, os profissionais perdem 37% do tempo captando os dados e 23% os gerenciando, apesar disso, apenas 3% das informações captadas são realmente relevantes para o negócio.

Para atingir a maturidade, além de incentivar uma mudança de mindset, onde  todos os colaboradores entendem que as decisões precisam ser tomadas com base em dados, é preciso contar com ferramentas baseadas em data lakes — estrutura alimentada por diversas fontes, que armazena todos os dados de um negócio e permite que pessoas de qualquer setor tenham acesso a eles.

Além disso, ferramentas como uma CDP — que dá acesso a um dashboard personalizável para ativar o cruzamento das informações  relevantes para cada pessoa — ajudam a tornar o trabalho mais automatizado, inteligente e rápido. Por meio da CDP é possível criar dashboards que mostram insights quando algum comportamento dos dados muda de padrão, por exemplo.

Ao analisar as métricas de maturidade do uso de dados do negócio, vemos que as empresas precisam traçar planos para integrar as informações e facilitar a sua análise para que, a partir disso, transformem sua cultura em data-driven, atingindo o patamar de uma empresa focada na cultura de dados.

Para aumentar a maturidade da cultura de dados do seu negócio conte com parceiros como a Tail, que oferece ferramentas de data analytics de ponta que permitem o uso das informações como base da estratégia do negócio. Entre em contato conosco e solicite uma proposta.