Você precisa de uma DMP ou DSP?

Você precisa de uma DMP ou DSP?

DMP e DSP são coisas bem diferentes, entenda melhor para não criar confusão…

A DMP (Data Management Platform ou Plataformas de Gestão de Audiências) é uma plataforma de gestão de audiência dedicada a tratar dados que possam ser organizados em perfis para segmentação de audiência em mídia programática e fora dela, ou para obtenção de insights na tomada de decisão.

Uma DMP permite ainda que você entenda melhor suas campanhas, analisar como diferentes perfis de público se comportaram ao longo de um funil de conversão, ou até mesmo criar análises cross media.

Usando uma DMP também se viabiliza uma nova forma de segmentação, não mais dependente exclusivamente do contexto ou conteúdo na qual a campanha será veiculada, mas baseada no perfil de quem será impactado, independentemente do contexto ou conteúdo onde ele for impactado.

Já uma DSP (Demand Side Platform) é um software dedicado a automatização do processo de compra de mídia.

A DSP, basicamente um software sofisticado de bid management (gerenciamento e otimização de lances), viabiliza a compra de mídia através do processo de Real Time Bidding (RTB ou Leilão em Tempo Real), uma nova forma de compra de mídia totalmente automatizada (ou “mídia programática”) e que vem se popularizando rapidamente entre anunciantes e agências.

DSP e DMP podem e devem operar de forma complementar e integrada. No entanto as DSPs atualmente fornecem módulos simplificados para uso de dados de audiência com a finalidade única de segmentação da campanha.

Em geral essas soluções embarcadas são práticas para as marcas que não possuem uma estratégia data-driven, e querem entender de forma ampla como o perfil de seu consumidor pode ser melhor compreendido e trabalhado.

Além disso, soluções proprietárias embarcadas em uma DSP ou outras plataformas de mídia servem exclusivamente para aquela campanhas tão somente naquela plataforma, e sua marca fica “presa” a ela.