Como adequar a LGPD no mercado imobiliário

Como adequar a LGPD no mercado imobiliário
67

A necessidade de adequação à LGPD no mercado imobiliário

Desde que foi sancionada em 2018, a Lei Geral de Proteção de Dados se tornou um assunto de destaque não só no setor jurídico das empresas, mas em todas as áreas que lidam direta ou indiretamente com dados de consumidores.

Com a Lei em vigor desde Setembro de 2020, as empresas que se anteciparam às resoluções saíram na frente, como é o caso da construtora que mencionaremos neste artigo

O Desafio do Mercado Imobiliário

Um de nossos clientes do segmento imobiliário possui uma série de pontos de coleta de dados pessoalmente identificáveis (PII) e não identificáveis (No PII). 

A complexidade desses dados para uma empresa do segmento de construção civil é altíssima por conta de dois fatores:

  1. Os inúmeros pontos de coleta: páginas web, corretores, parceiros, stands de vendas etc.;
  2. A sensibilidade desses dados: informações financeiras, documentação de pessoa física e jurídica, cópias de documentos etc.

Diante desse cenário, o desafio do nosso cliente era garantir a segurança dos dados dos seus clientes, permitindo:

  1. A conformidade com os critérios de privacidade exigidos pela lei;
  2. A opção de escolha do cliente em editar suas preferências e optar por concordar com a coleta do dado para determinados fins e não outros;
  3. Conformidade com a identidade da empresa em todos os pontos de contato com a marca;
  4. A rastreabilidade da origem do dados;
  5. A rastreabilidade do aceite/não aceite da coleta; 
  6. Que todos os fornecedores também atendam aos critérios exigidos pela lei;
  7. Reunir todos os dados em um único local para maior controle e governança.

A solução da Tail 

A Tail junto à Baptista Luz — assessoria jurídica focada em direito empresarial digital — mapeou as reais implicações do ecossistema da construtora e verificou se o funcionamento segue os preceitos da LGPD, e então desenvolveu um plano de ação que mitigue riscos.

Com isso, foi firmada uma parceria estratégica reunindo conhecimento técnico e jurídico para oferecer aos clientes uma solução completa para proteção de dados. Nessa parceria, a Tail é responsável pelo suporte tecnológico que garante ao consumidor o gerenciamento da escolha dos aceites e não aceites de coleta de dados e o armazenamento seguro dessas informações por meio do data lineage. 

O primeiro passo então, foi aplicar uma revisão jurídica a todos os fornecedores para que a construtora pudesse garantir que os parceiros conectados  a ela também estavam de acordo com a LGPD liderada pelo B.L.

Em seguida, a construtora aplicou os itens definidos na etapa jurídica à plataforma da Tail.

A Tail CMP (Consent Management Platform), é uma plataforma que possibilita criar um aviso de cookies personalizado para coleta e uso de cookies de forma fácil, segura e com total transparência aos visitantes dos sites da construtora, possibilitando a marca um controle de preferências dos usuários do website e garantindo que o negócio esteja em conformidade com a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD).

Para que garantir a segurança dos dados opt-in e opt-out, a Customer Data Platform (CDP) da Tail foi adicionada ao projeto, permitindo o Registro das Bases Legais e a rastreabilidade sobre o uso de cada Data Store ao longo de todo o fluxo de processamento (data lineage) em um ambiente integrado.

Esse trabalho — realizado a seis mãos — permitiu que a construtora adequasse todo seu processo de coleta, armazenamento e uso de dados segundo as diretrizes da Lei, tornando a empresa um dos primeiros anunciantes 100% compliant com a LGPD.